domingo, 10 de agosto de 2014

A Rua dos Cataventos - Mario Quintana

Mario Quintana - Blog João do Rio
Da vez primeira em que me assassinaram,
Perdi um jeito de sorrir que eu tinha.
Depois, a cada vez que me mataram,
Foram levando qualquer coisa minha.
Hoje, dos meu cadáveres eu sou
O mais desnudo, o que não tem mais nada.
Arde um toco de Vela amarelada,
Como único bem que me ficou.
Vinde! Corvos, chacais, ladrões de estrada!
Pois dessa mão avaramente adunca
Não haverão de arrancar a luz sagrada!
Aves da noite! Asas do horror! Voejai!
Que a luz trêmula e triste como um ai,
A luz de um morto não se apaga nunca!

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Dicas de livros para tentar conhecer o Brasil

Antonio Candido de Mello e Souza - nasceu em 24 de julho de 1918, no Rio de Janeiro


Sugestões de Antonio Candido (dica enviada pelo amigo Adenir Balmant, mineiro radicado no Rio de Janeiro)

O povo brasileiro (1995), de Darcy Ribeiro

 Raízes do Brasil (1936), de Sérgio Buarque de Holanda

História dos índios do Brasil (1992), organizada por Manuela Carneiro da Cunha

O abolicionismo (1883), de Joaquim Nabuco

Ser escravo no Brasil (1982),  Kátia de Queirós Mattoso

A escravidão africana no Brasil (1949), de Maurício Goulart

A integração do negro na sociedade de classes (1964), de Florestan Fernandes

Casa grande e senzala (1933), de Gilberto Freyre.

Formação do Brasil contemporâneo, Colônia (1942), de Caio Prado Júnior

D. João VI no Brasil (1909) e O movimento da Independência (1922), Oliveira Lima

A América Latina, Males de origem (1905), de Manuel Bonfim

Um estadista do Império(1897), Joaquim Nabuco

 Do Império à República(1972), de Sérgio Buarque de Holanda, volume que faz parte da História geral da civilização brasileira

Os sertões (1902), Euclides da Cunha 

Coronelismo, enxada e voto (1949), de Vitor Nunes Leal

A revolução burguesa no Brasil (1974), Florestan Fernandes

A aculturação dos alemães no Brasil (1946), de Emílio Willems

Italianos no Brasil (1959), de Franco Cenni

Do outro lado do Atlântico (1989), de Ângelo Trento


Minhas dicas para tentar entender o Brasil, do descobrimento aos tempos atuais. A lista não está em ordem cronológica dos fatos históricos.

Todos os livros abaixo foram lidos por mim.

  • 1808, 1822 e 1889 - Laurentino Gomes
  • A Viagem do Descobrimento - Eduardo Bueno
  • A Coroa, a Cruz e a Espada - Eduardo Bueno
  • Capitães do Brasil - Eduardo Bueno
  • Náufragos,Traficantes e Deserdados - Eduardo Bueno
  • A Ditadura Derrotada - Elio Gaspari
  • A Ditadura Encurralada - Elio Gaspari
  • A Ditadura Envergonhada - Elio Gaspari
  • A Ditadura Escancarada - Elio Gaspari
  • A incrível e fascinante história do Capitão Mouro - Georges Bourdoukan
  • Anarquistas Graças a Deus - Zélia Gattai
  • As Noites das Grandes Fogueiras - Uma História da Coluna Prestes
  • Boa Ventura - A Corrida do Ouro no Brasil - 1697 - 1810 - Lucas Figueiredo
  • O Império é Você  - Javier Moro
  • Febeapá - Festival de Besteiras que Assola o País vol. 1,2 e 3 - Stanislaw Ponte Preta - Sérgio Porto
  • Feliz Ano Velho - Marcelo Rubens Paiva
  • Folclore Político Brasileiro - vol. 1,2,3 e 4 - Sebastião Nery
  • Genocídio Americano - A Guerra do Paraguai - Júlio José Chiavenatto
  • Getúlio Vargas - Diário vol. 1 e 2 - FGV
  • Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil e Guia Politicamente Incorreto da América Latina - Leandro Narloch
  • História de Minas Gerais 1 - As Minas Setecentistas - Org. Maria Efigênia Lage de Resende - Luiz Carlos Villalta
  • Mauá - Empresário do Império - Jorge Caldeira
  • Memórias do Cárcere - vol 1 e 2 - Graciliano Ramos
  • O Pasquim - Antologia vol. 1 e 2, Ziraldo no Pasquim
  • Olga, Corações Sujos, Chatô - O Rei do Brasil - Fernando Morais
  • Um Defeito de Cor - Ana Maria Gonçalves
  • Os sertões - Euclides da Cunha

A seleção sugerida por Antonio Candido, foi extraída de artigo Publicado na edição 41 da Revista Teoria e Debate, em 30/09/2000.

Antonio Candido é sociólogo, crítico literário, ensaísta e professor. 

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Qual o problema com a nudez?

No vídeo abaixo, (recomendo que não seja visto por crianças e por jovens, sem a autorização e ou acompanhamento de pais e responsáveis, devido a cenas de nudez), criado em 2009 pela BBC Horizon produziu um programa conduzidos por médicos, psicólogos e especialistas, que tentam explicar por que a nudez ainda é, para nossa espécie um problema.

A pergunta base dessa pesquisa que reuniu 8 pessoas desconhecidas foi: Qual o problema com a nudez?

Essas pessoas ficaram confinadas em uma casa e ficaram nuas, seguindo um planejamento traçado e acompanhado pelos pesquisadores.

Assista ao vídeo e entenda os resultados dessa experiência.

Vídeo: YouTube
DICA: Paulo Clausen, via FB e Cratraca Livre

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Que venha a Copa, já estou preparado com A Pele Que Habito

 Foto: Walcira

Para iniciar minha concentração para a Copa do Mundo de futebol no Brasil, já selecionei meu time de livros para para enfrentar esse porre de futebol.

Iniciei os preparativos com o livro A Pele Que Habito da escritora e poetisa, mineira, Márcia Magalhães.

Livro que recomendo, de preferência acompanhado com um bom vinho e uma trilha sonora de seu gosto, com o som fazendo um suave fundo, bem baixinho.




Quer saber mais sobre essa escritora, poetisa mineira e "brima" de fé e de coração, e comprar os seus dois livros Poetar é Preciso e A Pele Que Habito? Acesse o link abaixo.
Compre antes que esgote.
Márcia Christina Lio Magalhães
MÁRCIA CHRISTINA LIO MAGALHÃES Poeta, Escritora. Página Oficial da Autora


Márcia C. Lio Magalhães

terça-feira, 27 de maio de 2014

Tom e Jerry - The cat concert - 1947

Assisti muito a esse desenho, e muitos outros em que a música clássica era tema.

Assim, acostumei a ouvir música de qualidade, e a educar os ouvidos para os clássicos.

Desenho feito quadro a quadro para cada movimento, e colorido a mão.

Premiado com o Oscar.

Hoje, desenhos são umas figuras mal desenhadas e toma porrada, explosão e violência.

Até as pancadarias ficavam mais leves e engraçadas nos desenhos antigos.

Apreciem e relembrem.



Dica do amigo Eric Cohen - Vídeo YouTube

domingo, 25 de maio de 2014

Pernambucano é danado de porreta, gentil e modesto

FOTOS: UNIVERSO

 Porto de Galinhas - Pernambuco

 RECEITA

 AVIAMENTO DA RECEITA - ESSA É DE CAJU  
                                           

Ser Pernambucano é...: 
 Ser acusado justamente de que somos os mais megalomaníacos dos brasileiros e de estarmos no topo de um tal de IGPM (Índice Geral de Pouca Modéstia). 
 Ter a mania de dizer que tudo daqui é melhor! (e não é mermo???) 
Dizer de boca cheia que o Shopping Center Recife é o maior da América Latina; 
 Falar também que o Chevrolet Hall é a maior casa de show da América Latina;   

 Ter a maior avenida em linha reta do mundo - a Caxangá, no Recife; 

Ter a maior feira ao ar livre do mundo a Feira de Caruaru; 

Ter também o maior teatro ao ar livre do mundo - Nova Jerusalém, no município de Fazenda Nova, onde é encenada na Semana Santa o espectáculo A Paixão de Cristo. 
 Ter a mais antiga sinagoga da América Latina - fica no Bairro do Recife, situado na ilha de Santo António ( Sem falar que foram judeus recém-saídos do Recife que migraram para os Estados Unidos e ali fundaram Nova York). 

Estar convencido de que é aqui em Recife que os rios Capibaribe e Beberibe se juntam e formam o Oceano Atlântico!! 
 Achar a Torre de Cristal do Brennand a obra de arte mais bonita do mundo; 

Ter o maior paraíso do mundo e poder dizer com todas as letras: Fernando de Noronha é NOSSA! 
 Saber que Recife é um dos grandes pólos de informática e de medicina do Brasil; 

Saber que O Galo da Madrugada é o maior bloco carnavalesco do mundo (conduz mais de 1,5 milhão de pessoas nas ruas do Recife), de acordo com o Livro dos Recordes; 
 Ter orgulho do nosso São João que é o maior e melhor do universo; 
Saber que mesmo jogado como é, o TIP é o segundo maior terminal rodoviário da América Latina;
O conjunto residencial Ignes Andreasa é o segundo maior da américa Latina;

O mundão do Arruda é o quarto maior estádio particular do mundo;

Ter O Diário de Pernambuco como o jornal mais antigo da América Latina; 

Saber que a primeira emissora de rádio da América Latina é a Rádio Clube de Pernambuco; 

Dizer que Olinda se transformou recentemente na Capital Cultural do Brasil; 

Estudos da Fundação Getúlio Vargas, que aponta as características econômicas de cada região, mostra que somos mais eficientes no comércio (influência dos holandeses?); 

Passar um tempo fora, chegar na capital e cantar: 'Voltei Recife, foi a saudade que me trouxe pelo braço, quero ver novamente Vassouras na rua passando, tomar umas e outras e cair no passo...' ; 

Ah... Fazer a maior festa de forma bem calorosa, ao encontrar um conterrâneo em outro estado ou país; 
Morar em outro estado ou país e não perder o sotaque pernambuquês; 

É encher o peito pra cantar: '.. eu sou mameluco, sou de Casa Forte, sou de Pernambuco, eu sou o Leão do Norte...'; 

É ser original, alegre, receptivo e solidário. É você perguntar onde fica o local tal e ser bem orientado por qualquer pernambucano; 

É valorizar a cultura popular, apreciar suas belas praias, é ser um cabra da peste!!! 

É ser muito sortudo por nascer numa terra tão linda como essa. 

E fazer qualquer coisa por um taquinho de rapadura e/ou queijo coalho quando reside fora de Pernambuco; 

Se você reside fora do estado, é recomendar aos filhos que omitam o fato de serem Pernambucanos para não humilhar os colegas.

É se arrepiar com o nosso hino como se fosse o hino nacional, é usar nossa bandeira com todo orgulho, é saber a riqueza de nossa história... 

Usar camiseta, boné, botton com a bandeira do estado (
que aliás, é a mais linda do país); 

Saber cantar o Hino de Pernambuco em todos os ritmos: forró, frevo, maracatu. Enfim... é amar a nossa terra e defendê-la acima de qualquer coisa! 

Poder dançar um frevo em Olinda e se orgulhar em dizer que é nosso; 

Encher os olhos d'àgua com aquele sorriso no rosto e até se tremer de emoção só de falar do carnaval de Olinda... 

Saber distinguir entre o Maracatu do Baque Solto do Maracatu do Baque Virado; 

Poder ir ao Teatro de Amadores de Pernambuco, assistir Um Sábado em Trinta! 

Ir ao Recife antigo e pode constatar todo aquele patrimônio arquitetônico; 

Acreditar que Recife é mesmo a 'Veneza Brasileira'; 

Amar as pontes e Rio Capibaribe do Recife; 

E as praias de Pernambuco? Boa Viagem, Piedade, Candeias, Gaibu, Paraíso, Calhetas, Carneiros, Porto de Galinhas... afe, é muita praia bunitinha!!! 

Jantar olhando para a lua incrivelmente cheia e linda nos bares e restaurantes na beira do rio Capibaribe ou da praia de Boa Viagem; 

Achar que Recife seria melhor se os holandeses tivessem permanecido e admirar Maurício de Nassau mesmo sabendo pouco sobre ele; 

É sabermos da nossa importância na construção da história desse país, da nossa identidade cultural. Do nosso passado fundiário, dos nossos engenhos de açúcar ; 

Dar mais importância ao Campeonato Pernambucano de Futebol do que qualquer Campeonato Nacional, pois futebol se restringe a rivalidades entre Náutico, Sport e Santa Cruz; Se você não sabe, pernambucano só torce por time de pernambuco; 

Ter o time na quarta divisão e ainda ser apaixonado como se fosse o melhoir do mundo.

Ir ao Alto da Sé em Olinda apenas para ver Recife ao longe e comer tapioca; 

Ir prá Garanhuns, Triunfo, Gravatá... e se encher de casacos, luvas... independente do frio que esteja fazendo; 

E em Petrolina, com seu aeroporto intern
acional, e as belas ilhas, e praias da água doce do rio São Francisco, e o bodódromo, e as maravilhosas frutas e degustar os vinhos lá produzidos... 
e Jorge de Altinho: 'e achava lindo quando a ponte levantava e o vapor passava no gostoso vai e vem, Petrolina!!!!...' 

Ficar sempre dividido entre as belezas das Praias de Porto de Galinhas e de Calhetas; 

Porto de Galinhas

Ouvir Alceu, Geraldinho Azevedo, Chico Science, Luiz Gonzaga, Lenine e outros tantos e poder dizer 'São meus conterrâneos' ;
Chamar Reginaldo Rossi de Rei Rossi (Roberto carlos??? Sei la.. ); 

Achar que José Pimentel é a cara do Cristo; 

Ir pra o teatro assistir 'Cinderela' com Jason Wallace e se identificar com o sotaque e as gírias usadas no espectáculo; 

Freqüentar a praia de Boa Viagem em frente ao Acaiaca; 
Tomar um banho no mar de Boa Viagem mesmo com placas de advertência de tubarão em todos os lugares; E ir à Praia de Boa Viagem e tomar um 'Caldinho Ele e Ela' p/ curar ressaca, gripe e dor de corno; 

Adorar bolo-de-rolo e suco de pitanga;
Saber a delícia que é um bolo de bacia com caldo de cana; 

BOLO DE ROLO

Correr no Parque da Jaqueira e depois se empanturrar de caldo de cana na saída;
Tomar um caldo de cana no centro da cidade
Tomar café da manhã (macaxeira com charque) no Mercado da Madalena depois da noitada; 

Nunca usar artigo na frente de nome proprio: nada de A Maria, ou O Recife....
Saber o significado das palavras 'pirangueiro', 'pantim', 'mangar', 'oitão', 'atacar' (abotoar), 'lascou' 'pitoco'. . . 

Chamar Paínho e Maínha p/ visitar Voínho e Voínha; 

Falar visse no final de cada frase;
Dizer: 'É rocha !' , 'É porque não dá mermo', 'Di cum força''digaí''ta ligado!?', 'oxente' 'e pronto...' entre outras... 

Defender o frevo, mas não fazer um passo sequer (apenas 'dançar com os dedos');
Amar as pontes do Recife sem conhecer o nome de uma apenas; 

Preferir botecos a fast-food; 

Gostar de qualquer música que fale de sertão, mangue, etc.; 

Gostar de comer caranguejo; 

Ter orgulho de dizer que o sonho de todo cearense ou de todo baiano é ser pernambucano; 

Conhecer a estória de Biu do Olho Verde e da Perna Cabeluda;

 ...Só quem é PERNAMBUCANO entende!...
Botão de som é pitôco;
Se é muito miúdo é pixotinho;
Se for resto é cotôco;
Tudo que é bom é massa ;
Tudo que é ruim é peba;
Rir dos outros é mangar;
Ficar cheio de não me toque, frescura é pantim;
Já faltar aula é gazear;
Colar na prova é filar;
Quem é franzino (pequeno e magro) é xôxo;
O bobo se chama leso;
E o medroso se chama frouxo;
Tá com raiva é invocado;
Vai sair, diz vou chegar;
'Caba' (homem) , sem dinheiro é liso;
A moça nova é boyzinha;
Pernilongo é muriçoca;
Chicote se chama açoite;
Quem entra sem licença emburaca;
Sinal de espanto é 'vôte';
Tá de fogo, tá bicado;
Quando tá folgado, tá folote ou afolozado;
Quem tem sorte é cagado;
Pedaço de pedra é xêxo;
Quem não paga é xexêro;
O mesquinho ou sovina é amarrado, muquirana, mão de vaca, pirangueiro;
Quem dá furo (não cumpre o prometido ou compromisso) é fulero;
Gente insistente é pegajosa;
Catinga de suor é inhaca;
Mancha de pancada é roncha;
Briga pequena é arenga;
Performance ou atitude de palhaço é munganga;
Corrente com pingente é trancilim;
Pão bengala é tabica;
Desarrumado é malamanhado;
Pessoa triste é borocoxô, macambúzo;
'É mesmo' é 'Iapôis';
Borracha de dinheiro é liga;
Correr atrás de alguém é dar uma carrera;
Fofoca é fuxico;
Estouro aqui se chama pipôco;
Confusão é rolo.

É assim que acontece, visse?
 

EITA TERRA ARRETADA DE BOA! VOCE PODE ATE TIRAR UMA PESSOA DE PERNAMBUCO, MAS NUNCA VAI CONSEGUIR TIRAR PERNAMBUCO DE DENTRO DE UMA PESSOA

Enviado pela amiga PernambucanaRecifense, Iracema Persivo 

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Aulas de natação - O ser humano faz cada coisa...

Foto: Internet

Coisas que eu não entendo no ser humano

Vi uma faixa anunciando aulas de natação em domicílio, para crianças, adultos, individuais ou grupos. 

Anotei o número do telefone. Liguei, fiz uma série de perguntas, foram cerca de 20 minutos para que eu tivesse as respostas que precisava, para tomar uma decisão.

Quando informei que não tinha piscina em casa, e se ela levaria uma piscina de lona para dar as aulas, recebi um show de palavrões, to com as “zoreias” entupida de tanta porcaria que ouvi.

Aliás, o repertório dela era de primeiríssima.

Ainda não entendi o porque de tanta raiva com um possível cliente.

Coloca uma faixa na cidade, o que é proibido por lei, cliente liga e ainda tratam mal.


Eu, hein? Vai entender o ser humano

Você aprende ou A insustentável leveza do ser - William Shakespeare - narração Moacir Reis

Recebi esse vídeo que contém uma bela mensagem para a vida. 

Compartilho. Recomendo assistir e refletir.

video


quarta-feira, 21 de maio de 2014

Postagem nº 1.000 ou Milésima publicação do BLOG DO UNIVERSO

Fotos: UNIVERSO


  Primeira foto publicada no blog - Amanhecer visto de minha janela, em Belo Horizonte

Por do Sol em Chicureo - Chile - Onde está o avião?

Com carinho aos amigos, amigas, leitores, seguidores, colaboradores, "brimos e brimas", dedico essa postagem de número 1.000

Hoje 21 de maio de 2014, estamos atingindo o número de 1.000 postagens, e 5 anos e 5 meses do início do BLOG DO UNIVERSO.

Iniciamos o blog em 6 de dezembro de 2008, começamos a ter uma segunda medida de dados estatísticos em Outubro de 2009 pelo SITEMETER..

Atingimos mais de 368.440 visualizações de páginas (dados do Blogger) e mais de 200.000 visitas desde outubro de 2009 ( dados do SITEMETER).

Creio, que se computarmos, uma média de 2000 visitas ao mês, considerando a data de dezembro de 2008, como início do blog, teremos cerca de mais 24.000 visitas a computar e a somar com as 200.000 visitas controladas pelas estatísticas, chegaremos a cerca de 224.000 visitas ao blog .

Quero agradecer, a cada de um vocês que visitaram o blog,  pelo apoio, carinho, força, colaboração , orientações, críticas, comentários e pelo envio de matérias para análise e posterior postagem.

Um agradecimento especial aos 148 amigos membros, que nos acompanham e compartilham seus blogs e temas.

O que começou, e continua sendo uma maneira de manter meu cérebro em funcionamento, me distrai, me permite compartilhar as coisas de que eu gosto, e conhecer novas pessoas, amigos, "brimos e "brimas".

Muito obrigado a todos.

Dados do BLOGGER

Visualizações de página de hoje
176
Visualizações de página de ontem
363
Visualizações de página do mês passado
6.127
Histórico de todas as visualizações de página
368.444


Visualizações de página por país

Gráfico dos países mais populares entre os visualizadores do blog
EntradaVisualizações de página
Brasil
296611
Estados Unidos
24099
Portugal
13827
Alemanha
6211
Rússia
5053
França
2019
Reino Unido
806
Holanda
778
Espanha
546
Itália
437

Temos recebido visitas da Ucrânia, Índia, China, Alaska, Chile, México, Vietnam, Bélgica, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, dentre outros. 

Creio, que onde viva um brasileiro, ou alguém que estude a nossa língua, tenha seu interesse despertado em visitar o nosso blog.

Além, é claro, de se poder fazer a tradução dos textos publicados para quem não fale o português.


Dados do Site Meter


Vistas nos últimos 12 meses - Mês a Mês - de Maio de 2013 a Maio de 2014, até a data de hoje.

This Year's Visits by Month

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Aqui Jazz, para quem é vivo - Jim Hall - Guitarrista - Quando o mínimo é o máximo

JIM HALL

Jim HallJames Stanley Hall - Nasceu nos Estados Unidos, em Buffalo em 4 de dezembro de 1930 e faleceu dia 10 de dezembro de 2013, aos 83 anos. Foi um grande guitarrista e um dos expoentes do jazz 
Começou a tocar em Cleveland, aos treze anos. Em 1955 graduou-se no Cleveland Institute of Music.
Estudava com Vincente Gómez, em Los Angeles, guitarra clássica. 
Abandonou os estudos e tocou de 55 a 56 com o Chico Hamilton Quintet, de 56 a 59 atuou no Jimmy Giuffre trio.
Tocou com Ella Fritzgerald , Yves Montand, Art Framarmer, John Lewis , Paul Desmond, Hampton Hawes, Ben Webster, Bill Evans, Ron Carter, Zoot Sims, Joe Lovano, Greg Osby, Pat Metheny e muitos outros cobras do jazz.
Recebeu o " New York Jazz Critics Circle Award", em 1977, como melhor compositor/arranjador.
Foi um dos maiores guitarristas do jazz e seu estilo, em que o mínimo é o máximo, de um fraseado limpo, criativo.
Recebeu elogios de vários instrumentistas, que o consideravam um verdadeiro mestre, elegante, de muita sensibilidade e um excelente humor.
Selecionei vários vídeos para que você possa apreciar a qualidade da guitarra que Jim Hall tocava.

Boa audição .








Vídeos, pesquisas e foto: YouTube, Wikipédia e Internet

Manipulação de imagem - Como se faz um filme com cenas reais e digitais.



Vídeo: VIMEO

DICA: do amigo Paulo Roberto (Pepê), de Belo Horizonte

domingo, 18 de maio de 2014

MPQ - Música Popular de Qualidade - Ai que Saudade D'ocê - Elba Ramalho, Geraldo Azevedo e Zé Ramalho

Foto: Colhida no FB do Pedro Persivo

Ouçam que música danada de gostosa.




Música de Vital Farias

Não se admire se um dia
Um beija-flor invadir
A porta da tua casa
Te der um beijo e partir
Fui eu que mandei o beijo
Que é pra matar meu desejo
Faz tempo que eu não te vejo
Ai que saudade de ocê

Se um dia ocê se lembrar
Escreva uma carta pra mim
Bote logo no correio
Com frases dizendo assim:
"Faz tempo que eu não te vejo
Quero matar meu desejo
Te mando um monte de beijo
Ai que saudade sem fim"

E se quiser recordar
Aquele nosso namoro
Quando eu ia viajar
Você caía no choro
Eu chorando pela estrada
Mas o que eu posso fazer
Trabalhar é minha sina
Eu gosto mesmo é de ocê


DICA DO AMIGO PEDRO PERSIVO, UM DOS "MENINOS PASSARINHOS" QUE CORTAM OS CÉUS DESSE MUNDÃO VOANDO EM SEUS SONHOS, DE RECIFE - PERNAMBUCO E FILHO DE GERALDO E IRACEMA, AMIGOS DE DENTRO DO CORAÇÃO.